"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Vida


A Matéria, a Vida e a Consciência são três aspectos de uma Unidade invisível.

Há muitos aspectos que guiam a evolução, três deles são os seguintes:

1º - Um impulso interno da vida e um estímulo externo do ambiente são ambos necessários ao crescimento da vida; sem os choques, a vida permaneceria adormecida; com o estímulo externo apenas, mas sem o impulso interno, permanece morta a forma.

2º - A vida evolui construindo e destruindo.

3º - Quanto mais a vida evolui, tanto mais consciência é libertada. Uma forma preenche satisfatoriamente a finalidade evolutiva quando através dela pode manifestar-se plenamente a consciência encerrada na vida que anima.

Foto de: Stelya Pereira

Viver simplesmente, pouco significa para a vida; mas, pensar, sentir, aspirar, ser intuitivo, ainda que de modo vago, eis pelo que toda a Natureza se esforça. Não há um só electrão que não aspire de modo vago a tornar-se um representante mais perfeito da Força divina da qual é um canal; cada planta e cada animal, das profundezas do seu pensamento e dos seus sentimentos, espera e esforça-se em silêncio por conseguir ser um reflector maior da Vida divina que contém. A vida esforça-se incessantemente por ser cada vez mais auto-consciente, e acima de tudo, por ser consciente do Grande Plano e da sua alegre participação nesse Plano.

Jinarajadasa
Fundamentos de Teosofia

Limitações



Foto de: Stelya Pereira


"Antes que possamos transcender as limitações, seja em nossa própria natureza ou nas circunstâncias em torno de nós, devemos tentar entender o que é que elas nos estão a pretender ensinar."
(Sri Ram)

Presépio


Ao passo que textos de tantas civilizações são tidos como mitos fantasiosos, porque é que se olha para os textos bíblicos como evidências históricas?

Foto de: Pedro
In: Olhares

Jesus nasceu no dia 24 de Dezembro? É mais que provável que não.
Jesus nasceu numa manjedoura ou numa gruta? É mais que provável que não.
Reis, Pastores vieram ao seu encontro e uma estrela brilhou no céu? Não.

Mas isso não é o importante.

Blavatsky disse-nos que qualquer religião deve ser estudada sob 3 aspectos: o mítico, o histórico e o místico. Assim sendo, um símbolo não deve ser adorado como um facto e da mesma maneira que alguém não fica abraçado à porta de casa quando no interior da casa está o familiar que vai visitar, assim o discípulo não deve ficar abraçado a um símbolo quando este é somente uma porta para uma verdade interna.

O símbolo do presépio vela a verdade sobre a Primeira Iniciação, sobre o primeiro nascimento após uma longa senda que está aberta a toda a humanidade mas que somente muito poucos a trilham.

Se o leitor retirar as cadeias o fanatismo e com uma atitude eclética investigar o nascimento de todos os salvadores das religiões antigas, tendo em conta a diferença dos símbolos, verá o mesmo denominador comum.

Será casualidade?

 As passagens bíblicas revelam por detrás dos seus símbolos e alegorias verdades universais que não são propriedade de uma religião mas sim da humanidade. Milhares de religiões existiram e outras tantas irão existir. Todas as religiões actuais morrerão da mesma maneira que as antigas morreram e o que fica? O fogo da verdade.

Aqueles que amam os símbolos cairão e morrerão com os símbolos, aqueles que amam o fogo são imortais.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin