"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Natal

O Natalis Solis Invicti era uma festa romana que se celebrava no solstício de inverno, próximo do dia 21 de Dezembro, em honra do nascimento do Sol interno.

Se a partir desta quadra, exteriormente os dias ficam maiores, onde pouco a pouco a luz vai ganhando tempo à noite, interiormente, quando o Sol nasce no coração do Homem e começa a iluminar os campos do seu ser, da sua personalidade, começa a revelar-se o caminho da Vontade, do Amor e da Inteligência que é o caminho da concretização de si mesmo.

Este Sol é conhecido como o Sol da meia-noite e no microcosmos que é o homem, toma o nome de Verdadeiro Eu, a verdadeira essência.

Aos nossos dias chegou a festa que todos nós conhecemos por Natal onde se celebra o dia do nascimento de Christos (palavra grega). Na linguagem dos Mistérios Chrestos era um candidato ou um neófito e Christos um iniciado. Christ é uma expressão mística para o Deus interior do Homem, ao passo que chrest é a natureza ainda não regenerada. Christ ou Cristo pode ser associado a Dionísio, Osíris ou Krishna, que irá encarnar em Chrest: a Humanidade, ou o Prometeu grego; através das provas de uma vida ou de vidas.



Este despertar interior, este nascimento do Sol que ilumina a alma, esta aurora divina que ilumina a pedra cúbica é a verdadeira festa que se comemora nesta quadra. Uma festa de jubilo e esperança, porque enquanto assim for o Homem compreenderá que possui o Deus em si, compreenderá que ele mesmo é um fino fio de luz que foi emanado do Criador.

Para todos aqueles que se questionam sobre qual é o sentido da vida, a resposta é: despertar o Sol interno. Não há nenhuma prova da vida, não há nenhuma dificuldade ou problema, que não seja para despertar a consciência que ainda está adormecida para este amanhecer.

A Sociedade pode dividir-se em 3 partes: Inocentes, Discípulos e Iniciados. Nos inocentes reside a quase totalidade da humanidade. Existem os inocentes por natureza, crianças toda a vida, onde a falta de consciência torna amena a imputabilidade das suas acções, mas a maioria dos homens que constitui esta parte é inocente porque leva a vida a julgar que a comanda e no entanto não é mais que um brinquedo das suas mesmíssimas acções. A sua inocência fá-los crédulos no comodismo dos dogmas e a eles se submetem como um cão a seu dono. Oh Homem, não sabes que foste criado para conhecer e transmutares-te?

Os Discípulos são poucos. Por vontade própria quebraram os grilhões que os prendiam na caverna da existência e olhando para si mesmos questionaram-se: Quem eu sou? E na demanda desta resposta caminham em direcção ao amanhecer, humildemente dizendo:”Só sei que nada sei.”

Os Iniciados, talvez no mundo se contem pelos dedos de apenas uma mão, não sei. Estes Homens um dia foram Inocentes e Discípulos mas hoje assistem diariamente ao nasce do sol  interno. Estes são os Christos, os Osiris, Os Budas, os Krishnas, não só os portadores da Luz, mas aqueles cujos corpos são a própria imagem da Luz.

Boas Festas

1 comentário:

Lud Taylor disse...

Que então celebremos o Sol Invicto, o Sol a despertar em nós!


Forte abraço!


Boas festas!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin