"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Mistérios do Amor

Não se tratando de uma confissão de amor, pelo menos aquele amor que o comum dos homens está habituado a sentir e que tão profanamente coloca diariamente nos seus lábios, mas sim de um Amor que só as Almas puras podem expressar no mundo terreno, Viola, personagem do Romance de Sir Edward Bulwer-Lytton, escreve , com Zanoni no seu coração, uma das mais belas confissões que li.


“Dizem-me que és mais belo do que as estátuas de mármore, mais formoso do que todas as formas humanas, mas eu nunca me atrevi a olhar fixamente o teu semblante, para que a minha memória pudesse comparar-te depois com os demais. Lembro-me somente dos teus olhos e do teu afável e tranquilo sorriso. Tudo o que passa no meu coração é misterioso, tão misterioso como misteriosa é a luz da lua quando a contemplo.”

Zanoni
Sir Edward Bulwer-Lytton

2 comentários:

Maria Ribeiro disse...

AZOTH:maravilhoso amor a que, nem deusas ,nem deuses, reis ,raínhas, cervos do monte, flores das roseiras ou humanos...conseguem resistir...
Todos, homens e deuses ,somos carentes...
BEIJO DE
Mª ELISA

LUmeNA disse...

Lindíssimo o que leio.

Já cá não venho há imenso tempo, e vejo um belíssimo post.
Este amor, na verdade não é o amor do comum dos homens.
O amor de almas é tão puro e sagrado, que somente elas podem entender, não precisam nunca de um motivo e surge naturalmente. O coração enxerga melhor que os olhos, e a alma é mais sábia que a mente. Estão tão unidas que não mais se podem separar.

Bonito post!

Um bem-haja,
Lumena

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin