"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Homem, Serpente e Maçã

Hoje escrevo um post que tem um saboroso exemplo prático, a maçã. J


Se procuramos a origem do simbolismo das diferentes civilizações da Raça humana actual, a Quinta, encontraremos o ponto de foco no passado, os Vedas.

O simbolismo de grandes civilizações como a Egípcia, embora pessoalmente acredite que parte do conhecimento desta civilização seja o legado de épocas anteriores aos Vedas, assim como os próprios Vedas o são, a Caldeia e por continuidade a Babilónica e a Pérsica, a Grega, a Romana por absorção da Grega, a Judaica no seu caleidoscópio de seitas, etc. deriva deste Grande conjunto de Escrituras Sagradas que são os Vedas.


Um estudo destas civilizações não em separado mas em conjunto revela que os símbolos que as mesmas usam, embora apresentando por vezes nomes e formas diferentes, máscaras distintas, velam as mesmas ideias.

A Serpente, em todas estas civilizações sempre foi símbolo da Sabedoria e nunca teve a conotação “maléfica” que o ocidente lhe atribui. Isto só demonstra que entre os compiladores e comentadores bíblicos cristãos não constavam Iniciados nos Mistérios.

No Génesis, surge uma serpente que oferece uma maçã ao casal Adão e Eva eles provam-na e são expulsos do paraíso. O que se esconde por detrás deste simbolismo? Muita coisa por ventura se esconde e nós, provavelmente apenas podemos dar poucos passos no caminho do seu total significado e a seguinte interpretação poderá ser um pouquinho dum passo dado.


O fruto da árvore do conhecimento simboliza o fruto do conhecimento esotérico. A palavra “esotérico” hoje em dia talvez ande um pouco desvirtuada do seu verdadeiro significado. Esotérico significa tudo o que é interior, aquilo que não é visível, assim como a nossa mente é interior à forma física do nosso corpo.

Agora, se estiverem a ler este post em algum local onde possam ir buscar uma maçã agradecia que fossem buscar uma para verificarem o que vou dizer a seguir. Embora a fruta oferecida pela serpente pudesse ser uma qualquer, o facto de ser uma maçã é mais uma pista que nos legaram para o puzzle.

Pois bem, peguem na vossa maçã e cortem-na ao meio, não como usualmente se corta, mas pelo “equador” da maçã.

Que figura estilizada vêm representada ao centro?

Um pentagrama, certo? O número 5.


O pentagrama, outro símbolo profundíssimo, sempre foi utilizado desde tempos imemoráveis. Os Pitagóricos utilizavam-no até como uma das formas de se reconhecerem e numa das chaves pode ser visto como símbolo do Homem perfeito, eis porque surge na representação do homem Vitrúvio.

Porque é que é o símbolo do Homem perfeito?

Para estas civilizações, o Homem possui duas naturezas uma inferior e outra superior, a inferior é a personalidade e a superior a individualidade. O número 4 é o número da personalidade pois 4 são os seus constituintes: a mente egoísta, emoções, vitalidade e o corpo etero/fisico, a pedra cúbica dos alquimistas. O número 3 é o número da individualidade pois são 3 os seus constituintes, usando termos sânscritos pois não possuímos termos que verdadeiramente os representam, Manas (mente altruísta), Buddhi e Atma.

Ou seja na totalidade o Homem é 4+3 = 7. Este conceito surge como a constituição septenária do Homem.


O objectivo da evolução da Raça actual é desenvolver Manas e o número de manas é o cinco, daí que o pentagrama é um símbolo que representa esta parte do Homem (se dividirmos o homem em 7 partes contanto de baixo para cima, as primeiras 4 correspondem à personalidade a quinta parte, Manas, já pertence à individualidade ou como muitos de nós a conhece, o verdadeiro espírito do homem).

Assim, a Serpente que oferece a maçã a Adão e Eva, simboliza que é através da Sabedoria do nosso ser, um ser dual, ou seja, é através do conhecimento do esotérico de nós mesmos, em que a acção sobre e a reacção do mundo exterior acaba por desempenhar um papel de iniciador, que caminhos pela senda que nos leva aos portais do ser-se Humano. O “conhece-te a Ti mesmo” do Templo grego de Delfos.

Manas, é a mente altruísta o mundo dos puros ideais. Aliás, só é Homem aquele que possuir no seu interior a chama de Manas, nem que seja uma chama pequeniníssima. A evolução impele o homem a aumentar essa chama e quanto mais o Homem a desenvolve mais o “eu” se dissolve no “nós”. A mente egoísta sendo a topo da personalidade conduz o homem a dizer eu quero, eu sei, eu desejo, eu, eu e só eu. Quando a consciência começa a fazer vibrar o estado de Manas o homem começa a sentir a necessidade de colocar em acção ideais como o altruísmo, a abnegação, a coragem, a fraternidade, entre outros.

Muito mais se poderia dizer, quem sabe para uma outra altura, para um outro lugar por um outro ser.


Cumprimentos Fraternos.

7 comentários:

lusibero disse...

AZOTH: texto muito rico de simbologia. Obrigada por ter trazido esta temática. Enriqueceu-me.
Agora, desejo agradecer as palavras amigas que me dirigiu enquanto estive mais afastada; não é que esteja em pleno, mas a medicação lá vai dando uma mão...
Saudações fraternas de LUSIBERO

DeepGirl disse...

Adorei o conhecimento transmitido... Mas ainda adorei mais o facto de o ter conseguido interiorizado (penso eu).

Sempre foram questões que me coloquei: porquê a serpente, porquê a maçã, porquê a figueira?

A chama referida... Está em pleno crescimento, mas não sei até que ponto a conseguirei aguentar e desenvolver... Há demasiada água a bailar em volta.

Beijinho da Deep :)

L. ♥ disse...

"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela."

Gostei desta frase, não é o facto de estarmos 'presos' que deixamos de sonhar.

Bom fim de semana. *

Azoth disse...

Olá caríssima Maria.

É sempre bom vê-la por cá.
Este nosso corpo por vezes prega-nos partidas, mas desde que a vontade se mantenha com um fervor ígneo, não há mal que impeça o nosso querer.

A continuação das melhoras e as minhas Saudações Fraternas.

Azoth disse...

Olá caríssima Deep.

é bom nos questionarmos e temos todo o direito de procurar as respostas. Nunca nos devemos dar por satisfeitos.

No mundo muitos são os que lutam contra tempestades semelhantes e aprendem a aumentar a chama.

"conhece-te a ti mesmo" basta seguir esta frase e encontrará muitas respostas.

Saudações Fraternas

Azoth disse...

Olá caríssima L.

Sri Ram, o seu autor, foi um ser único que viveu entre nós. Os seus textos são de uma clareza e simplicidade que só está ao alcance dos grandes Mestres.

Saudações Fraternas.

Green Tint disse...

Olá,

Adorei seu blog, estive lendo algumas das postagens, bem enriquecedoras em muitas dúvidas que me surgem...
Sim, já havia lido sobre o pentagrama contido na maçã e é bem interessante a magia em relação ao número 5 e também a magia com o elemental da maçã.
Obrigada agradeço a informação.
Saudações.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin