"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Uma reflexão sobre o Homem

Tudo está em movimento.

O físico não atravessa o físico.
O vital não atravessa o vital.
O emocional não atravessa o emocional.
A mente não atravessa a mente.
O Homem atravessa-os a todos.

Tudo vibra pelo embate ou por simpatia, pelo grosseiro ou pelo subtil.
Todas as coisas são a mesma coisa em estados distintos de vibração.
O subtil ocupa o mesmo espaço que o grosseiro, o espírito ocupa o mesmo espaço que o físico.

O vital atravessa o físico.
O emocional atravessa o vital.
O mental atravessa o emocional
O Homem faz vibrá-los a todos.

O homem que se olha ao espelho não vê a sua verdadeira Essência, vê uma vibração da matéria original.

A sua vista física mostra-lhe um corpo físico.
A sua vista vital mostrar-lhe-ia um corpo vital.
A sua vista emocional mostrar-lhe-ia um corpo emocional.
A sua vista mental mostrar-lhe-ia um corpo mental.
O homem ainda é cego na sua vitalidade, nas suas emoções e na sua mente.
O homem trabalha na obtenção dos seus olhos e na perfeição dos seus corpos, para que a imagem seja feita à sua Imagem.

O verdadeiro observador encontra-se para além da mente.
Da mesma forma que o homem não é a casa onde habita, da mesma forma que o Homem não é os corpos que ocupa.
Aquele que compreende a imagem do espelho é o homem, aquele que projecta a imagem do espelho é o Homem.

O Homem é como o Sol, um sol dentro da casa de vidro da mente, dentro da casa de vidro das emoções, dentro da casa de vidro da vitalidade, dentro da casa de vidro do seu físico.

Cada uma destas casas tem as suas cores, os vidros são assim coloridos.

O homem que se olha ao espelho vê a manifestação matizada da luz que o Sol, o Verdadeiro Homem, irradia, não a pura luz, mas uma luz colorida. Foram as cores dos vidros que a matizaram.
O homem que se olha no espelho vê uma ilusão.
O homem que se olha no espelho Vê a sua personalidade.
O homem que se olha no espelho não vê a sua verdadeira Essência, a sua Individualidade.

Para te conheceres a ti mesmo, para conheceres o que é teu e o que julgas que te pertence mas não é teu, o que verdadeiramente És, tens de operar sobre as cores dos teus vidros e tornar os mesmos transparentes. Desta forma, quando esse dia chegar, aquele que se observar ao espelho será ele mesmo.

Conhece-te a ti mesmo.

Fraternalmente, Azoth :.

4 comentários:

Psicosolstício disse...

Fantástico... Nomeadamente nos dias que correm em nós conseguirmos ser transparentes é quase impossível. Todos andamos preocupados em demasia com outras questões, significa que nem a nós nos conhecemos pelo que não podemos aproveitar a vida de forma plena...

JPBARROS disse...

Vim agradecer a visita e dar-lhes os parabéns pelo seu blog muito bom.
Eu já estou a seguir e ainda que não comente estou a ler todas as postagens antigas e a partir daqui é mais fácil seguir as novas.

Obrigado um abraço

Teresa disse...

Obrigada pela sabedoria que passa nas palavras.Faz um bom trabalho neste blog.Fique bem.

Lusibero disse...

lisitarodriguesAZOTH:poema lindo sobre a condição humana, tavez mais sobre como o homem se vê , não se vendo...Estilo moderniata, na estrutura e realista na temática.Faço sobressair a 5ª estrofe: " O HOMEM QUE SE VÊ AO ESPELHO..."por dar a ideia da ilusão que é a VIDA. Já estou a segui-lo, mas quero ver os seus posts mais antigos, até porque acho que tenho perdido "FIOS DE SABEDORIA" , no entretanto.
BEIJO AMIGO DE LUSIBERO

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin