"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Os perigos do século XXI

Deixo as palavras de um verdadeiro Homem, de um Mestre, de um Amante da Sabedoria e sobretudo da Humanidade.

“(…)

Ainda se conserva actual um velho relato dos Puranas acerca da riqueza.

Diz-se que havia um grande príncipe coberto de ouro que passava o dia deitado, sendo abanicado pelos seus servidores. Ao seu redor havia um povo miserável que estava trabalhando no arrozal, submerso de água até à cintura. Certo dia passou por ali Brahma, o deus Supremo, que vinha do céu de Indra; viu este panorama e pensou como é que era possível tamanha injustiça, que um homem estivesse coberto de ouro junto às suas favoritas, aos seus elefantes amestrados, etc., ao passo que o resto das gentes se encontrava atolada na lama? « Isto não pode ser! Agora mesmo vou a fazer com que isto se remedeie – disse Brahma. De agora em diante, toda esta riqueza será repartida equitativamente entre todos.» Fez um gesto mágico e aconteceu o milagre. Todos possuíam agora uma pequena casinha, tinham algumas ferramentas e algum dinheiro. Por sua vez, o príncipe também possuía uma casinha e algum dinheiro! Satisfeito, Brahma retornou ao céu de Indra onde permaneceu durante vinte anos, ao fim dos quais regressou para ver como estava a sua reforma. Novamente encontrou o príncipe entre almofadas coberto de ouro e jóias e o povo encontrava-se novamente a trabalhar na água.
Então, Brahma – pois até Deus se irrita às vezes – apresenta-se diante do príncipe e diz: «Mas, não te disse que isto tinha de ser repartido e não o reparti eu mesmo entre todos?» Ao que contestou o príncipe: « Sim, Senhor, tu repartiste o dinheiro, mas não a inteligência para obtê-lo. Quando tu te retiraste, eu os explorei de novo.»

(….)


Todos temos, não só o dever moral, como a obrigação – e assim o sentimos dentro do nosso coração – de fazer com que as crianças, os nossos filhos, os nossos discípulos, os nossos netos, vivam num mundo melhor. Todos podemos colaborar de alguma forma e de alguma maneira: fomentando os valores artísticos ou literários, tratando de por ordem onde não a existe, tratando de por inteligência onde não a exista, tratando de colocar um grão de bondade onde este não esteja, tratando de fazer algo positivo e efectivo, não somente em dias especiais, mas durante todo o ano.

(….) “


Jorge Angel Livraga
Fundador da Nova Acrópole

Este artigo na sua totalidade pode ser encontrado em:
http://www.acropolis.com.bo/articulos/158.htm

7 comentários:

Endorfina, please. disse...

" Aquele a quem falta demasiado o pão de todos os dias deixa de apreciar o pão eterno"
Autor: Péguy , Charles

rogerio franco disse...

"Podemos estar a morrer de fome, mas a cultura nunca deixaremos morrer". Quem disse esta frase?

Azoth disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Azoth disse...

Bom dia Rogerio
Quem disse a frase, não lhe sei responder, mas posso dizer-lhe que ela faz todo o sentido.
Se aquilo que nos alimenta alma morre, aos poucos seremos apenas pó.

Azoth disse...

Bom dia Endorfina.
Com toda a razão.
Pessoalmente penso que a maior fome que existe nos nossos dias nem é tanto a fome fisica mais sim a espiritual.
Alguem que não me recordo dizia "com falta de comida ninguém morre, mas se lhe faltar a esperança não durará muito tempo.

lumenamena disse...

"Se há no mundo um ocioso, deve haver também alguém prestes a morrer de fome."

Autor:Leon Tolstoi

Azoth disse...

Olá Lumenamena.
Sim, uma polaridade que nos deveria "iluminar" a consciência e projectar-nos no caminho vertical do justo meio e no entanto, como muitas outras polaridades, arrasta a nossa personalidade na horizontalidade do vicio, qual balança que peca por excesso ou por defeito.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin