"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

O Homem actual

“Os Atlantes tinham os sentidos muito mais desenvolvidos que os Lemurianos, sobre tudo a vista e o ouvido; mas o paladar, ainda que mais activo que o dos seus predecessores, não estava todavia muito desenvolvido, o que lhes tornava toleráveis e mesmo apetecíveis os alimentos rudes e grosseiros, preferindo os de odor penetrante, como o da carne em decomposição, aos mais delicados manjares, que lhes pareciam insípidos. O seu corpo não era muito sensível ao dano e as feridas graves não lhes causavam dor nem os extenuavam, nem tão pouco as extensas mutilações incapacitavam o sujeito, sanando rapidamente.

"Atlante"
Desenho RosaCruz

O resto da raça Lemuriana que ainda existe, assim como os mais numerosos Atantes, evidenciam hoje relativa insensibilidade à dor e suportam sem grande moléstia feridas que deitariam ao chão um homem da Quinta Raça. Conta-se que um índio Norte-Americano continuou lutando depois de lhe ter sido arrancado parte de um musculo e ao fim de quinze horas retornou ao campo de batalha. Esta característica corporal da Quarta Raça permite aos selvagens resistir com calma e recomporem-se de torturas que deixariam em síncope nervoso ao homem da Quinta Raça.



Estas diferenças resultam fundamentalmente do desenvolvimento do átomo permanente que constitui o núcleo do corpo físico. Na Quinta Raça raiz existe um maior manancial de vida descendente, que determina o maior desenvolvimento do átomo permanente que se lhe acrescenta à medida que este se desenvolve. Sempre que se avança na evolução há uma crescente complexidade de forças vibratórias no átomo físico permanente e análogo incremento no átomo astral bem como no mental. À medida que os nascimento acontecem, os átomos permanentes atraem a si, do seu plano respectivo, os novos corpos mental, astral e físico. Resulta que quanto mais evoluídos estejam ditos átomos, de melhor qualidade e grau será a matéria que do seu plano atraem, com a qual construirão um mais delicado aparato nervoso, pelo qual pode fluir um sempre crescente caudal de consciência. Desta maneira constrói-se o delicado e organizado sistema nervoso do homem da Quinta Raça onde a diferenciação interna das células nervosas é mais notória e onde também existem muito mais intercomunicações. Geralmente falando, a consciência do homem da Quinta Raça actua no plano astral e retira-se do corpo físico, excepto na consciência relativa ao sistema nervoso cérebro-espinal.



O governo dos órgãos vitais do corpo fica sob a responsabilidade do sistema simpático, educado durante imenso tempo para cumprir a sua obra e recebe impulsos de centros astrais, sem a deliberada atenção da ocupada consciência, mesmo sendo à partida sustentado por ela. Nos indivíduos mais evoluídos da Quinta Raça, os principais impulsos da consciência vêm do mundo mental e através do astral actuam no físico, onde estimulam a actividade nervosa. Tal é a aguda e subtil consciência inteligente, movida em grande parte por ideias que por sensações, mostrando-se mais activa nos centros mentais e astrais do cérebro que nos relacionados com os fenómenos sensoriais e motores.

Os órgãos sensitivos do corpo da Quinta Raça são menos activos e agudos que os da Quarta para responder a contactos puramente físicos. O olho, o ouvido e o tacto da quinta raça não respondem a vibrações que teriam afectado os órgãos sensitivos da Quarta Raça. Também é de notar que estes órgãos têm a sua máxima agudeza na primeira infância e que a partir dos seis anos de idade vão diminuindo a sensibilidade. Por outro lado, quanto menos agudos são para receber contactos puramente sensitivos, fazem-se mais sensíveis às sensações impregnadas de emoção, às delicadezas da cor e do som, à natureza, à arte, estas todas afectam-no com maior eficácia. A superior e mais eficaz organização dos centros sensitivos do cérebro e do corpo astral, parece que acrescenta sensibilidade à cor, forma e som e decresce na resposta às sensações em que não intervém a emoção.


Antelope Canyon

O corpo da Quinta Raça é muito mais sensível aos choques que os da Terceira e da Quarta por estar mais “inundado” de consciência. Uma comoção nervosa, sente-a com maior intensidade um corpo da Quinta Raça. As amputações cirúrgicas não se confinam só à laceração dos músculos e ao arrancar dos tecidos, propagam-se também a perigosos choque nervosos, pois o superior e organizados sistema nervoso transmite a mensagem de angústia aos centros cerebrais, de onde se transfere ao corpo astral, cuja consciência perturba e transtorna com a subsequente desordem mental. A imaginação exalta-se, a memória estimula ao desgosto e o galope dos impulsos mentais intensifica e prolonga as sensações, que por sua vez excitam o sistema nervoso, cuja reacção nos órgãos vitais produz transtornos fisiológicos como a depressão da vitalidade que demoram em recuperrar-se.


"Jardim das Delicias"
Bosch

De igual modo, as condições mentais influenciam poderosamente o mais evoluído corpo da Quinta Raça, como também a ansiedade, os sofrimentos mentais e o tédio despontam tensão nervosa, perturbando rapidamente as funções orgânicas, conduzindo à debilidade e à enfermidade. De aqui vem que a força mental e a serenidade de ânimo favorecem directamente a saúde física. As perturbações emotivas e mentais desequilibram mais facilmente a saúde que quaisquer privações infligidas ao corpo físico. O evoluído homem da Quinta Raça vive fisicamente no seu sistema nervoso.”



“Estudo Sobre a Consciência”
Annie Besant

1 comentário:

Hermeticum disse...

Mais um excelente artigo com que nos brindas.
Só uma nota: com um pouco de persistencia podemos encontrar na Web informação acerca do "Homem de Forfooz" que, de acordo com as fontes do costume, são as ossadas de um Rmoahal - 1ª sub-raça da 4ª raça raiz.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin