"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Ser mais além



“ A diferença fundamental entre um homem e um animal não está no facto de o animal pensar ou não, mas no facto do homem poder conceber Deus.
Uma Humanidade que perde o contacto com Deus, que perde o contacto com a espiritualidade, deixa de ser uma verdadeira Humanidade, convertendo-se praticamente num grupo de humanóides que simplesmente respondem às suas paixões e pertencem aos ódios.”

Prof. Jorge Angel Livraga
Fundador da Nova Acrópole

Conhecimentos


“O estudante deve considerar que personalidade é sinonimo de limitação e que quanto mais egoísta, quanto mais estreitas sejam as ideias da pessoa, tanto mais intimamente esta aderirá às esferas inferiores de existência, tanto mais tempo se demorará no plano das egoístas relações sociais."

“Com efeito, na evolução do homem, tanto em cada plano isolado como no conjunto, há um arco descendente e outro ascendente: o espírito, por assim dizer, envolvendo-se na matéria e a matéria desenvolvendo-se no espírito. O ponto inferior ou mais material no ciclo converte-se, deste modo, no ápice invertido da inteligência física, que é a manifestação mascarada da inteligência espiritual.”

“As combinações excelsas de sabedoria, bondade e iluminação transcendental, que o mundo tenha visto ou pensado, representarão o tipo comum da espécie humana.”

“A espiritualidade, no sentido oculto, tem pouco ou nada a ver com o sentimento devoto. Relaciona-se com a capacidade da mente em assimilar o conhecimento na fonte original do próprio conhecimento — do conhecimento absoluto — em vez de fazê-lo por meio dos tortuosos e trabalhosos processos do raciocínio.”


“O BUDISMO ESOTÉRICO”
A. P. SINNETT

Prometeu

"Heinrich Fueger 1817 - Prometheus "


O mar abraçou o movimento
que flúi para ele na corrente do rio.
Deu morte à vida que do seu ventre saiu,
a rainha que governa o trono do tempo.

Ao abismo o gerado se lançou
e o divino inverteu o seu pensamento.
Nas águas projectou a imagem do templo
e na terra a sua vontade germinou.

Cresce pelo velado fio-de-prumo
a obra que segue o princípio
O desvio dissolve-se no início
pois a lâmina colheu-o fora do rumo.

Roubada foi a verdade criada.
Retirada ao céu, nas trevas se fez luz.
Abraça a morte na revelação que produz
à beira da estrada que deixou iluminada.

Dia de Portugal



Comemorando o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, a associação cultural Nova Acrópole de Aveiro levou a cabo um recital de poesia que incluiu a leitura de algumas passagens dos Lusíadas bem como a declamação de poemas de autores de expressão portuguesa. Para além disso encontra-se patente nas suas instalações uma exposição de desenhos feito a carvão, da autoria de uma artista aveirense, Orquídea Baltazar. Exposição esta, que vai estar aberta ao público durante as próximas três semanas.
Quero aqui deixar o meu voto de apreço pelo bom momento que nos presenteou e a oportunidade que nos deu de passar um dia diferente.

O meu obrigado.

Saber Julgar




“Encontram-se, muitas vezes, nas paredes das prisões, legendas interessantes, formulas, versos e inscrições que nos esclarecem o espírito e nos orientam os sentimentos de bondade e clemência. Conta-se que, certa vez, o Rei Mazim, senhor da rica província de Korassã, foi informado que um presidiário hindu escrevera palavras mágicas na parede da sua cela. O rei Mazim chamou um escriba diligente e hábil e determinou-lhe que copiasse todas as letras, figuras, versos ou números. Muitas semanas gastou o escriba para cumprir, na integra, a ordem extravagante do Rei.(..)

(Assim partiu o escriba em viagem)

(Quando Regressou) Diante do pedido do monarca, disse o sábio:

- Eis os versos escritos por um dos condenados:
A felicidade é difícil porque somos muito difíceis em matéria de felicidade.Não fales da tua felicidade a alguém menos feliz que tu.Quando não se tem o que se ama é preciso amar o que se tem.

Eis um problema escrito na parede da cela de um condenado:
Tenta colocar 10 Soldados em cinco filas, tendo cada fila 4 Soldados.

A seguir o sábio leu a seguinte lenda:
« Conta-se que o jovem Tzu-Chang se dirigiu um dia ao grande Confúcio e perguntou-lhe:- Quantas vezes, ó esclarecido filósofo, deve um juiz reflectir antes de sentenciar?Respondeu Confúcio:- Uma vez hoje; dez vezes amanhã.Assombrou-se Tzu-Chang ao ouvir as palavras do sábio. O conceito era obscuro e enigmático.- Uma vez será o suficiente – elucidou com paciência o Mestre – quando o juiz, pelo exame da causa, concluir pelo perdão. Dez vezes, porém, deverá o magistrado pensar, sempre que se sentir inclinado a lavrar sentença condenatória.E concluiu com a sua incomparável sabedoria:- Erra, por certo, gravemente, aquele que hesita em perdoar; erra, entretanto, muito mais ainda aos olhos de Deus, aquele que condena sem hesitar.»"

"O Homem que sabia contar"
Malb Tahan

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin