"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

A Queda

"Narciso"
Caravaggio


O Homem olhava para o horizonte. Aquela estreita linha que ao longe estabelecia a fronteira entre o céu e a terra, teria sido o seu inicio e iria ser o seu fim.Abraçando um fogo que descia do céu, na quietude, aguardava pelo sol nascente. A aurora fez-se chegar e ao brilho do azul celeste, no branco que vestia, saudava os primeiros raios que desciam pelas encostas do tempo, filho de uma vontade superior e de um desejo de ser.


Nesse tempo, era ele um eixo do plano, sobre o qual as estrelas confirmavam o seu corpo e por isso mesmo, com o lápis da mente pintava no círculo celeste histórias secretas que apenas o amor podia compreender.


O mesmo horizonte onde o seu interior tinha o início impeliu-o a caminhar a seu encontro. Deixando para trás as colunas que sustentavam o seu templo, desceu as encostas do monte onde se encontravam os Deuses.


De tanto caminhar sobre o espaço, chamou o mesmo espaço de infinito. Tanta foi a obra que encontrou que o sol, pouco a pouco, começou a erguer-se por trás de nuvens e a sua alma, pela paixão, sucumbida pela magia dos sentidos, encontrou no corpo temporal a ilusão da esperança, o brilho efémero e do inicio, apenas se recordava de uma fosca luz.


O vento erodia-lhe o corpo, a água arrastava-o nas suas correntes o fogo queimava-o e a terra sepultava-o, pois o mundo parecia-lhe infinito, infinito de mais para se recordar do sentido da sua busca, do seu inicio e do seu fim.

2 comentários:

Silvia disse...

Eu estou em desenho a fazer uma pintura deste pintor renascentista...
=D



Quanto ao teu comentario, tens toda a razão!

*

isabel disse...

e talvez esse mundo fosse infinito de mais para se cair uma só vez...bwcjkve

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin