"Somos como águias enjauladas; mas mesmo por detrás das grades podemos olhar os céus expansivos e extrair inspiração de uma estrela." Pensamentos para aspirantes- Sri Ram

Vida



O vento sopra. Esse vento é uma corrente, uma força uma lei.

O cata-vento tende a alinhar-se naturalmente na direcção do vento.

No início, o cata-vento, fixo, não tem consciência de si, porque tudo o que existe, existe em equilíbrio em harmonia.

O vento começa a soprar e entre as peças móveis do cata-vento começa a existir fricção. A consciência do cata-vento desperta para o mundo onde o vento se manifesta uma vez que o equilíbrio foi quebrado.

A fricção das suas partes causa dor, mas mesmo assim o vento aumenta a sua intensidade.
No fim o cata vento encontra-se alinhado na corrente forte que o vento provoca, e embora a lei que é o vento se manifeste, o cata vento encontra-se parado, alinhado, em equilíbrio.

Este é o mistério da vida, o período de tempo que decorre entre dois pontos de relativa acalmia
Existem muitas leis que desconhecemos e à maior parte delas oferecemos resistência. A dor é algo de inevitável para que a transformação ocorra.

Nada está parado, tudo se encontra em movimento.

O cata-vento não pode mudar a direcção do vento, mas pode mudar-se a si mesmo, aumentado a vontade e esforçando-se para isso, para girar sobre si o mais rápido que consiga, para que o alinhamento se processe o mais rápido possível.

Os mestres são aqueles que colocam o óleo nas engrenagens, e assim, o cata-vento toma consciência das suas engrenagens e desta forma compreende o atrito, a dor.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin